A procura da pedra da loucura: apontamentos sobre o processo de biologização da psiquiatria

Autores/as

Resumen

A psiquiatria contemporânea é marcada por uma tendência biologicista com especial uso de psicofármacos no tratamento de suas supostas enfermidades. Nesse sentido, o objetivo deste artigo é analisar, no âmbito da constituição histórica da psiquiatria, sua busca pela origem orgânica das patologias mentais, a partir da teoria alienista de Philippe Pinel e da teoria da degenerescência de Benedict-Augustin Morel. Dessa forma, inspirados na perspectiva genealógica foucaultiana, o artigo pretende apresentar pistas sobre o caminho da biologização dos discursos e práticas psiquiátricas que culminaram no século XXI no atual sistema classificatório das patologias mentais, que nutre o paradigma biomédico e promove a banalização de diagnósticos e a generalizada prescrição de psicofármacos.

Palabras clave

História da psiquiatria, Loucura, Biologicismo, Psicofarmacologia

Biografía del autor/a

Daniele de Andrade Ferrazza, Departamento de Psicologia - Universidade Estadual de Maringá (UEM)

Doutora e mestre em Psicologia pelo Programa de Pós-Graduação da Universidade Estadual Paulista, Unesp/Campus de Assis-SP. Atualmente é professora de Psicologia Social da Universidade Estadual de Maringá (UEM), Maringá/PR, Brasil. Trabalha principalmente com os seguintes temas: Psicologia Social, Políticas Públicas de Saúde, medicalização do social e produção de subjetividades.

Murilo Galvão Amancio Cruz, Instituto de Medicina Social - Universidade do Estado do Rio de Janeiro

Graduado em Psicologia pela Universidade Estadual Paulista "Júlio de Mesquita Filho" (UNESP). Mestrando em Saúde Coletiva pelo Instituto de Medicina Social da Universidade do Estado do Rio de Janeiro.

Publicado

02-11-2018

Descargas

Los datos de descargas todavía no están disponibles.