La ciencia como dispositivo de producción de la paternidad: análisis de la producción científica brasileña

Autores/as

  • Márcio Barra Valente Universidade Federal de Pernambuco
  • Benedito Medrado Universidade Federal de Pernambuco
  • Jorge Lyra Instituto PAPAI

Resumen

Compreendendo a ciência como dispositivo de produção de modos de ser e regimes de verdade, este levantamento bibliográfico objetivou-se desenvolver uma crítica acerca da produção científica brasileira sobre paternidade (1987-2009), inspirada na abordagem pós-construcionista e Psicologia Social. As produções foram obtidas no Banco de teses e dissertações da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES) a partir do termo "paternidade", em seguida, foram aplicados critérios para reduzir o número de produções encontradas. Na maioria delas a paternidade foi atrelada à dicotomia sexo-gênero, sendo sua ruptura associada a crises e mudanças que reiteram normas de gênero e posições de gênero (mesmo quando as relativiza). O saber científico produz a paternidade: delineia e oculta estratégias de saber-poder que produzem o sujeito homem-pai universal, modos de "ser pai" e a concordância pênis-racionalidade-procriação-heterossexualidade, mas, também possibilita a visualização dos limites da eficácia tais normas abrindo espaço para produção de fissuras e transformações.

Palabras clave

Paternidade, Pós-Construcionismo, Dispositivo, Ciências Humanas e Sociais, Gênero

Biografía del autor/a

Márcio Barra Valente, Universidade Federal de Pernambuco

Mestre pelo Programa de Pós-Graduação em Psicologia da Universidade Federal de Pernambuco (2011), possui graduação em Psicologia pela Universidade da Amazônia (2009) e em Ciências da Religião pela Universidade Estadual do Pará (2005). Integra o Núcleo de Pesquisas em Gênero e Masculinidades - GEMA (cadastrado no CNPq desde 1998) e  Associação Brasileira de Psicologia Social (ABRAPSO). Trabalha como pesquisador em projetos que aliam ensino, pesquisa e extensão em temas relativos à saúde, gênero, feminismo, homens e masculinidades, a partir do estudo das práticas discursivas, produção de sentidos no cotidiano, relações de poder e processos de subjetivação, integrando campos de saber interdisciplinares como psicologia social, linguagem e saúde pública. De modo mais específico, atua como pesquisador no projeto "A paternidade no contexto da gravidez na adolescência: rompendo barreiras culturais e institucionais"

Benedito Medrado, Universidade Federal de Pernambuco

Professor adjunto da UFPE. docente dos cursos e Graduação e Programa de Pós-graduação em Psicologia. Doutor em Psicologia Social pela PUC/SP, com Estágio no Programa de Pós-graduação em Psicologia Social da Universidade Autónoma de Barcelona/Espanha. Desenvolve projetos que aliam ensino, pesquisa e extensão em temas relativos à saúde, comunicação, gênero, feminismo, homens e masculinidades, a partir da abordagem das práticas discursivas e produção de sentidos no cotidiano, integrando campos de saber interdisciplinares como psicologia social, linguagem e saúde pública. Um dos fundadores do Instituto Papai e atual coordenador do Núcleo de Pesquisas em Gênero e Masculinidade (cadastrado no CNPq desde 1998) e presidente da a Associação Brasileira de Psicologia Social (Abrapso). Integra a Rede Feminista Norte-Nordeste de Estudos e Pesquisas sobre a Mulher e Relações de gênero (Redor), a Rede Brasileira de Pesquisas em Violência, Saúde, Gênero e Masculinidades (Visagem), Associação Brasileira de Saúde Coletiva (Abrasco), a Rede Brasileira de Homens pela Eqüidade de gênero. Coordena a Campanha Brasileira do Laço Branco (Homens pelo fim da violência contra a mulher).

Jorge Lyra, Instituto PAPAI

Possui graduação em Psicologia pela Universidade Federal de Pernambuco (1993), mestrado em Psicologia Social pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (1997) e doutorado em Saúde Pública pela Fundação Oswaldo Cruz-FIOCRUZ/Centro de Pesquisas Aggeu Magalhães-CPqAM/Núcleo de Estudos em Saúde Coletiva-NESC, com estágio de doutorando no exterior (PDDE/Capes) na Universidad Autonoma de Barcelona (2008). Coordenador geral do Instituto Papai, lider do grupo de pesquisas do CNPq Gênero e masculinidades - Gema/UFPE; membro do comitê de ética em pesquisa do Centro de Saúde Amaury de Medeiros - CISAM/Universidade de Pernambuco-UPE, vice-coordenador do grupo de trabalho sobre gênero e saúde da Rede Feminista Norte-Nordeste de Estudos e Pesquisas sobre Mulher e Relações de Gênero-REDOR; integrante do Grupo de Trabalho em Gênero e Saúde da Associação Brasileira de Saúde Coletiva - ABRASCO; integrante da coordenação da Associação Brasileira de Psicologia Social - ABRAPSO; participante do Grupo de Trabalho Psicologia e Estudos de Gênero da Associação Nacional de Pesquisa e Pós-graduação em Psicologia e membro do Comitê consultivo/BVS-Adolec/Bireme-OMS/OPAS do Ministério da Saúde. Tem experiência de ensino, pesquisa e extensão na área de Psicologia Social e Saúde Pública atuando principalmente nos seguintes temas: feminismo, gênero, paternidade, masculinidades, adolescência e políticas públicas em saúde e direitos reprodutivos.    

Publicado

04-07-2011

Descargas

Los datos de descargas todavía no están disponibles.