O conceito de líquido em Zygmunt Bauman: Contemporaneidade e produção de subjetividade

Rafael Bianchi Silva, Jéssica Paula Silva Mendes, Rosieli dos Santos Lopes Alves

Resumen

O objetivo desse artigo é realizar uma discussão acerca do conceito de líquido, a partir do obra de Zygmunt Bauman sendo o debate realizado a partir de três eixos de análise: a ordem, a incerteza e a insatisfação. Vê-se uma nova configuração de homem neste cenário liquefeito, marcado pela modificação e ampliação da noção de tempo e espaço, elegendo o consumo como parâmetro societário em vista da perda de referência das instituições sociais enquanto esfera organizadora e norteadora da vida, o que desafia o indivíduo a sobreviver em meio a toda instabilidade que isto representa. Assim, o termo empregado visa demonstrar a existência de uma nova relação do homem com o mundo, marcada pela instabilidade identitária, a fragilização vincular e o estabelecimento de relações mediadas pela sensação de medo. Conclui-se que o conceito investigado não se configura como uma quebra total das premissas da modernidade, mas sim, sua radicalização.

Palabras clave

Sociedade Líquido-Moderna; Zygmunt Bauman; Subjetividade

Texto completo:

PDF (Português)

Métricas de artículo

Cargando métricas ...

Metrics powered by PLOS ALM
Copyright (c) 2015 Rafael Bianchi Silva, Jéssica Paula Silva Mendes, Rosieli dos Santos Lopes Alves