Experiência e produção de si em perfis do aplicativo Grindr

João Gabriel Maracci, Vanessa Soares Maurente, Adolfo Pizzinato

Resumen

Discutimos a ideia de produção de si através de conteúdos presentes em perfis do Grindr - aplicativo móvel e geolocalizado de busca de parceiros entre homens, comumente utilizado no contexto brasileiro. O Grindr foi a primeira ferramenta a conjugar a busca por sexo via internet ao mecanismo de geolocalização, acarretando mudanças significativas na vivência da sexualidade e do espaço público para homens que fazem sexo com homens. Realizamos uma cartografia no aplicativo, tendo como foco inicial as descrições de perfis encontrados em diferentes regiões da cidade de Porto Alegre, Brasil. Percebemos a recorrência de ideais de masculinidade, desvalorização de atributos entendidos como femininos, referências à lógica do aplicativo e negociação do sigilo na formulação dos perfis. Discutimos o Grindr como espaço de reorganizações discursivas, que se inserem no interior do aplicativo através dos modos como sujeitos produzem sentidos sobre “quem são” e “o que buscam” na ferramenta.

Palabras clave

Masculinidades; Gênero; Homossexualidade; Tecnologia

Texto completo:

PDF (Português)

Referencias

Butler, Judith (1990). Gender Trouble: feminism and the subversion of identity. Nova Iorque: Routledge.

Butler, Judith (2000). Corpos que Pesam: sobre os limites discursivos do sexo. In: Louro, Guacira Lopes (Org.), O corpo Educado: Pedagogias da Sexualidade (pp. 110-125). Belo Horizonte: Autêntica.

Butler, Judith (2005/2015). Relatar a si mesmo: crítica da violência ética. São Paulo: Autência.

Cavarero, Adriana (2000). Relating Narratives: Storytelling and Selfhood. Nova Iorque: Routledge.

Couto, Walter; Morelli, Fábio; Galindo, Dolores & Souza, Leonardo Lemos (2016). Práticas sexuais em geolocalização entre homens: corpos, prazeres, tecnologias. Athenea Digital, 16(2), 169-193. http://dx.doi.org/10.1590/0102-311x00020119

Deleuze, Gilles & Guattari, Félix (1995). Mil platôs: capitalismo e esquizofrenia. Rio de Janeiro: Editora 34.

Foucault, Michel (1995). O sujeito e o poder. In: Hubert Dreyfus & Paul Rabinow (Orgs.), Foucault: uma trajetória filosófica. (pp. 231-250). Rio de Janeiro: Forense Universitária.

Foucault, Michel (2001). O que é um autor In: Manoel Barros Mota (Org.), Ditos e Escritos III: Estética: Literatura e Pintura, Música e Cinema (pp. 264-298). São Paulo: Forense Universitária.

Kastrup, Virgínia & Passos, Eduardo (2013). Cartografar é traçar um plano comum. Fractal: Revista de Psicologia, 25(2), 263-280. http://dx.doi.org/10.1590/S1984-02922013000200004

Ministério da Saúde (2019). O que é a PREp? Departamento de Vigilância, Prevenção e Controle das IST, do HIV/Aids e das Hepatites Virais. Recuperado de: http://www.aids.gov.br/pt-br/o-que-e-prep

Miskolci, Richard (2012). A gramática do Armário: notas sobre segredos e mentiras em relações homoeróticas masculinas mediadas digitalmente. In: Larissa Pelúcio, Luis Antonio Francisco de Souza, Bóris Ribeiro de Magalhães & Thiago Teixeira Sabatine (Orgs.), Olhares plurais para o cotidiano: gênero, sexualidade e mídia (v. 1, 1 ed., pp. 35-55). São Paulo: Cultura Acadêmica.

Miskolci, Richard (2014). San Francisco e a nova economia do desejo. Revista Lua Nova, 91, 269-295. http://dx.doi.org/10.1590/S0102-64452014000100010

Morelli, Fábio & Pereira, Bruno (2018). A pornificação do corpo masculino: Notas sobre o imperativo das imagens na busca entre homens por parceiros on-line. Civitas, 18(1), 187-203. http://dx.doi.org/10.15448/1984-7289.2018.1.28450

Mowlabocus, Sharif (2007). Gaydar: gay men and the pornification of everyday life. In: Kaarina Nikunen, Laura Saarenmaa & Susanna Paasonen (Eds.), Pornification: sex and sexuality in media culture (pp. 61-72). Berg: Oxford.

Pizzinato, Adolfo; Hamman, Cristiano & Maracci-Cardoso, João Gabriel (2017). Dinâmicas atuais na busca de sexo entre homens: O uso do Grindr como ferramenta de gestão de práticas sexuais. In Fabrício Machado, Fabiano Barnart & Renan de Mattos (Orgs.), A diversidade e a Livre Expressão Sexual entre as Ruas, as Redes e as Políticas Públicas (v. 1, pp. 179-194). Porto Alegre: Editora Nuances.

Preciado, Paul (2002). Manifiesto Contrasexual. Madrid: Opera Prima.

Simondon, Gilbert (2001). Du mode d’existence des objets techniques. Paris: Editions Aubier.

Welzer-Lang, Daniel (2001). A construção do masculino: dominação das mulheres e homofobia. Revista Estudos feministas, 2. http://dx.doi.org/10.1590/S0104-026X2001000200008

Zago, Luis Felipe (2013). Os meninos: corpo, gênero e sexualidade em e através de um site de relacionamentos na internet. Tese de Doutorado inédita. Universidade Federal do Rio Grande do Sul.

Métricas de artículo

Cargando métricas ...

Metrics powered by PLOS ALM
Copyright (c) 2019 João Gabriel Maracci Cardoso, Vanessa Soares Maurente, Adolfo Pizzinato