Callejones sin salida en la adolescencia: narrativas contemporáneas de abandono y adicción

Amanda Pacheco Machado, Mônica Medeiros Kother Macedo

Resumen

Nesta investigação abordamos a recorrente tessitura da adolescência com a drogadição observada no contexto contemporâneo. A partir do método de Análise de Conteúdo, estabelecemos quatro categorias a priori para trabalhar o material oriundo de entrevistas realizadas com três adolescentes que estavam em tratamento em serviços de saúde pública devido ao abuso de drogas. Tal trabalho ocorreu com base nos aportes da Psicanálise, conferindo ênfase à passagem adolescente, à noção de desamparo e à relação entre a compulsão e a pulsão de morte. Foi possível acessar e explorar as condições presentes na história de vida destes adolescentes que levam a afirmar a relevância de priorizar a escuta e a compreensão de elementos que aludem ao singular processo de busca e de investimento exclusivo no objeto-droga na experiência de adolescer. A Psicanálise, ao outorgar voz ao sujeito, possibilita construir vias para ampliar as possibilidades de intervenção diante das manifestações de dor psíquica.

Palabras clave

Adolescência; Drogadição; Psicanálise; Saúde Pública

Texto completo:

PDF (Português)

Referencias

Alonso, Sílvia L. (2012). O tempo na escuta do analista: entre a rememoração e a construção. Sig: Revista de Psicanálise, 1(1), 29-40.

Aulagnier, Piera (1990). Um intérprete em busca de sentido – III. São Paulo: Escuta.

Bardin, Laurence (1979). Análise de conteúdo. Lisboa: 70.

Birman, Joel (2012). O sujeito na contemporaneidade: espaço, dor e desalento na atualidade. Rio de Janeiro: Civilização brasileira.

Birman, Joel (2014). Drogas, performance e psiquiatrização na contemporaneidade. Ágora, 17, 23-37. https://dx.doi.org/10.1590/S1516-14982014000300003

Brasil. Ministério da Saúde. Conselho Nacional de Saúde (1996). Resolução 196/96. Diretrizes e normas regulamentadoras de pesquisas envolvendo seres humanos. Brasília: Ministério da Saúde.

Cavalcanti, Cristina & Poli, Maria Cristina (2015). O laço social e o mal-estar face ao desamparo. Interthesis: revista internacional interdisciplinar, 12(2), 55-73. https://dx.doi.org/10.5007/1807-1384.2015v12n2p55

Costa, Veridiana Alves de Sousa Ferreira & Melo, Maria de Fátima Vilar (2017). A carência de fronteiras na adolescência da atualidade: o adolescente em pane? Revista subjetividades, 17(3), 13-22.http://dx.doi.org/10.5020/23590777.rs.v17i3.5571

Coutinho, Luciana Gageiro (2015). O adolescente a educação no contemporâneo: o que a Psicanálise tem a dizer. Cadernos de Psicanálise CPRJ, 37(33), 155-174.

Debord, G. (1997). A sociedade do espetáculo. Rio de Janeiro: Contraponto.

Dockhorn, Carolina Neuman de Barros Falcão & Macedo, Mônica Medeiros Kother (2014). Enlaces entre narcisismo e drogadição: a condição de servidão do Eu. Sig: revista de Psicanálise, 1(4), 15-24.

Freud, Sigmund (1895/1996). Projeto para uma Psicologia científica. In James Strachey (Ed. e Trad.), Edição Standard Brasileira das Obras Psicológicas Completas de Sigmund Freud (Vol. 1, pp. 341-353). Rio de Janeiro: Imago.

Freud, Sigmund (1905/1996). Três Ensaios Sobre a Teoria da Sexualidade. In James Strachey (Ed. e Trad.), Edição Standard Brasileira das Obras Psicológicas Completas de Sigmund Freud (Vol. 7, pp. 119-126). Rio de Janeiro: Imago.

Freud, Sigmund (1920/2006). Além do princípio do prazer. In L. A. Hanns (Coord.), Escritos sobre a Psicologia do inconsciente (Vol. 2, pp. 123-198). Rio de Janeiro: Imago.

Freud, Sigmund (1930/1996). O mal estar na civilização. In James Strachey (Ed. e Trad.), Edição Standard Brasileira das Obras Psicológicas Completas de Sigmund Freud (Vol. 21, pp. 67-73). Rio de Janeiro: Imago.

Green, André (2010). O trabalho do negativo. Porto Alegre: Artmed.

Gurfinkel, Décio (2011). Adições: paixão e vício. São Paulo: Casa do psicólogo.

Hornstein, Luis (1989) Introdução à Psicanálise. São Paulo: Escuta.

Hornstein, Luis (2009). Narcisismo: autoestima, identidade, alteridade. Buenos Aires: Paidós.

Machado, Amanda & Macedo, Mônica Medeiros Kother (2016). A interligação entre o intersubjetivo e o intrapsíquico: (im)possibilidades na travessia da adolescência. Avances en psicologia latinoamericana, 34(3), 505-515. http://dx.doi.org/10.12804/apl34.3.2016.05

Marucco, Rafael (2013). Aporte a la metapsicología de la adicción. Sig: Revista de Psicanálise, 1(2), 51-58.

Moraes, Eurema Gallo & Macedo, Mônica Medeiros Kother (2011). Vivência de indiferença: trauma ao ato/dor. São Paulo: Casa do Psicólogo.

Nunes, Otávio Augusto Winck (2004). Vou apertar, mas não vou acender agora. Revista da Associação Psicanalítica de Porto Alegre, 16, 16-22.

Pinheiro, Teresa (2012). O modelo melancólico e os sofrimentos da contemporaneidade. In Júlio Vertzman, Regina Herzog, Teresa Pinheiro & Fernanda Pacheco-Ferreira (Orgs.), Sofrimentos narcísicos (pp. 17-38). Rio de Janeiro: Cia de Freud.

Rother Hornstein, Maria Cristina (2012). Sufrimiento psíquico y creación. Sig: Revista de Psicanálise, 1(1), 41-52.

Segú, Oscar Gutierrez. (2013). Adicciones y psicoanálisis. Buenos Aires: Letra viva.

Silveira, Elaine Rosner (2013). Clínica da toxicomania: recortes de uma experiência em CAPS AD. Revista Mal-estar e Subjetividade, 8(3), 665-686.

Torossian, Sandra Djambolakdjian. (2007). Trajetos adolescentes na construção de toxicomanias. Psicologia em revista, 13(1), 123-136.

Wechsler, David (1997). WAIS III- administration and scoring manual. San Antonio, TX: Psychological Corporation.

WHO, World Health Organization. (1986). Young People´s Health - a Challenge for Society. Report of a WHO Study Group on Young People and Health for All. Technical Report Series 731. Geneva: WHO.

Métricas de artículo

Cargando métricas ...

Metrics powered by PLOS ALM
Copyright (c) 2019 Amanda Pacheco Machado, Mônica Medeiros Kother Macedo