Medo e vergonha como barreiras para superar a violência doméstica de gênero

Autores/as

  • Maria Fernanda Terra Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo
  • Ana Flávia Pires Lucas d´Oliveira Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo
  • Lilia Blima Schraiber Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo

Resumen

Propõe-se compreender, pela vulnerabilidade, como os sentimentos de medo e vergonha associados às situações de violência impactam nas possibilidades de superação da violência doméstica de gênero. Apesar desses sentimentos aparentemente se apresentarem como um problema de cada mulher, a violência doméstica de gênero não é um problema individual (ou do agressor), mas uma questão política e social de violação dos direitos humanos. Analisou-se 16 entrevistas de mulheres com história de violência doméstica. O conceito da vulnerabilidade permite iluminar e analisar a articulação entre aspectos subjetivos das mulheres, nesse caso o medo e a vergonha, com os componentes programáticos e sociais, como as legislações, as políticas sociais e serviços que visam assegurar direitos das mulheres, enfatizando as conexões entre indivíduos, suas relações comunitárias, o contexto sociocultural e econômico mais geral. Articular estas diferentes dimensões do problema é fundamental para abordar a violência de gênero e os processos para a sua superação.

Palabras clave

Violência baseada em gênero, Vulnerabilidade, Medo, Vergonha

Biografía del autor/a

Maria Fernanda Terra, Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo

Doutoranda, Departamento de Medicina Preventiva da FMUSP

Ana Flávia Pires Lucas d´Oliveira, Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo

Professora do Departamento de Medicina Preventiva da FMUSP

Lilia Blima Schraiber, Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo

Professora do Departamento de Medicina Preventiva da FMUSP

Publicado

03-11-2015

Descargas

Los datos de descargas todavía no están disponibles.